Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Dia número 59 do Suplício

por tron, em 21.05.20

Hoje as dores de cabeça me massacraram e recebi uma notícia de última hora que voltar ao activo mesmo amanhã, mas manhã tenho consulta do neurologista e não posso faltar a mesma e vou a consluta e depois vejo o que vai resultar.

O meu médico não vai ficar agradado do facto de eu estar a fazer horas constantemente e vai ver os exames médicos feitos quando eu tive o problema renal e vamos ver qual vai ser o parecer dele.

Ainda vou ver se o médico não me vai mandar para casa devido a fadiga extra de estar há mais de um mês a fazer horas extras há mais de um mês e corpo em si já nota estes sinais de fadiga extremada.

Se não gostarem que eu falte por eu ir ao médico, tenho pena, primeiro está o direito à saúde e depois neste caso em particular não me podem por na rua e se me porem acciono o tribunal de trabalho e nem me vou dar ao trabalho de pedir a readmissão, vou partir mesmo para outra solução laboral porque fico com a sensação que aquele Call Center já deve estar a dar o canto do cisne e mais tarde ou mais cedo vou-me juntar a legião de desempregados e eu em parte nem me importava de voltar aos cursos do IEFP para cortar com este stress insano que tem sido este confinamento e com o stress de um emprego que fico a pensar que mais valia nem ter tido o trabalho de aceitar....

 

E foi mais um dia que parece ter sido o último de confinamento 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:34

Dia números 38 e 39 do Suplício

por tron, em 30.04.20

Mais um par de dias se passaram e a estupidez humana e os objectivos exagerados continuam, mas estou preso de pés e mãos porque tenho que sustentar a minha família e fico a pensar que não sei para onde me viro e fico no ponto de não retorno quase de me suicidar ou algo semelhante ou mesmo de precisar uma ajuda séria para a mente.

Hoje até deu para sair e resolver uma coisa à Santa Casa que já estava meio como tratada e só foi levantar um documento relativamente essencial, mas que era preciso para uma fase da minha vida e da vida da minha família cuja esta ajuda burocrática é fundamental e essencial para o passo seguinte.

Depois comecei a trabalhar sobre o efeito de analgésicos e dos remédios da epilepsia que me deu uma pedra que parecia que eu tinha abusado de algo de estranho, mas ou era isto ou era ir para a urgência hospitalar e eu que tenho passado entre os pingos das chuvas de que é peste, desta fez não passria com toda a certeza e ainda ficaria contaminado com esta peste chinesa.

Bem se as dores de costas voltarem como as tive hoje, tenho que ir ao mesmo ao médico e arranjar uma forma de as mitigar porque senão vou ter que abdicar do teletrabalho por muito que me custe e talvez antecipe férias ou algo semelhante, mas algo tenho que fazer em relação a minha vida porque se a minha saúde física pior além de uma dor de costas, ai terei que agir de outra forma.

Estou a ver como as coisas correm, se me tirarem o teletrabalho, depois vejamos como é que a vida me vai correr....mas quando isto acontecer isto vai dar problemas para alguém e não é só a mim nem a minha família....

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:31

Dia número 37 do Suplício

por tron, em 28.04.20

O dia teinha que ser torto mesmo com o o software de trabalho não funcionar mesmo e depois foi a Santa Casa a madanr todos os nacionais que vivem na mesma pensão que eu a minha família incluindo a minha família fazer teste de despsite do Covid-19, mas nem foi isto o que me lixou mais o juízo.

O que me deixou mesmo com a cabeça torta foi o software de trabalho ser mesmo uma tartaruga coxa e depois enquanto ia tentando fazer omeletes sem ovos e com os nervos ao ponto de mandar tudo dar uma curva e enviar a carta de demissão assim que possível para não perigar a minha saúde mental, veio um mail de um dos supervisores que pediu um aumento dos objectivos já de si irrealistas de mails e outro anterior que mudou as regras do que era feito antes.

Estas comunicações pelo que aprendi no curso gera conflito e atrito e como o call center apenas se serve dos funcionários que estão vinculados a uma firma de trabalho temporário quem tem as responsabilidades jurídicas do contrato de trabalho é empresa de trabalho temporário que acaba por pagar as favas por o seu cliente ser um canalha.

Fiquei com vontade de sair como nunca e nem sei o que fazer e a depressão voltou e falta um mês para a minha consulta de neurologia, mas tenho que arranjar forma de a antecipar antes que seja tarde para a minha mente ou que caia em algum vício tóxico para a minha vida, tenho que pensar bem antes de voltar ao activo se passo antes a inactiva durante um tempo e respiro um pouco e mudo de ramo porque estes objectivos me estão a pressionar ao ponto de eu sair ao ponto quase sair da rede ....

 

O que faço?

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:09

Dia número 34 do Suplício

por tron, em 25.04.20

Mais um dia de trabalho e a tentar fazer omeletes sem ovos, ou seja, com o software de teletrabalho com falhas e com os obejctivos irrealistas a me chatearem a cabeça ao ponto de eu bater com porta.

Ainda hoje falei com a minha única pessoa com quem converso que é a minha mulher e ela diz que estamos presos de pés e mãos e mesmo que eu saísse do call-center e voltasse ao RSI por motivos óbvios que é falta de condições para trabalhar nem isso poderia fazer porque a assistente da Santa Casa vai de férias, ou seja, vou ter me aguentar a bronca a não ser que o meu neurologista veja que eu não estou a aguentar com a pancada.

Dou por mim com um acumular de funções no back-office que dou em maluco e não me pagam mais por isso e quando passo um olhar nos mails vejo muito erro nos mails que nem eu nos meus primórdios da disciplina do TIC antes chamada de ITI ou mesmo no curso de Técnico Administrativo dei e fico a pensar que 80% dos que lá estão a trabalhar são licenciados e fico a pensar se estudaram mesmo ou se têm algum QI ou então estão ali para a "bóia" (calão brasileiro para comer, refeição ou se aplicado no contexto laboral: ganhar para comer).

Eu também estou em parte para a bóia mas dou o meu melhor porque é assim que tem que ser e não pensar em festas nem sei que mais a não ser que ainda tenham amadurecido o suficiente para trabalhar a sério....e mesmo assim não vão chatear estes.

Depois é este empurrar com a barriga para as actividades voltarem ao normal que nunca se sabe quando voltam e comecei a pensar em mudar de actividade laboral antes que frite de vez a marmita porque não posso fritar porque sou a âncora da minha família....

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:17

Dia número 28 do Suplício

por tron, em 19.04.20

Hoje já consegui engrenar com a situação dos mails em back-office, sei que me senti produitivo e matei o vício de trabalhar, foi daqueles dias que gosto, trabalhar até tombar e voltar a levantar-me e assim passou-se o dia com alguma dor de cabeça, muita fadiga e com alguma incerteza porque não sei ainda o futuro com tanta restrição e tanta incerteza na evolução do coronavírus.

Este back-office está a por em prática muito do que aprendi no curso do IEFP e da formação que tive antes de entrar no call-center e esta conjução dá-me algum gozo porque estou a praticar tudo que aprendi nos últimos 3 anos ou quase tudo e isto é bom e o receio que senti quando entrei no curso de ser algo em vão ou para passar o tempo passou.

Mas a depressão ainda se sente como se sente a incerteza dos dias e desta situação de estar parado sem nada e apesar de ter estado de férias, o mais próximo que tive foi uma baixa por fadiga na tipografia que foi o meu primeiro emprego em 2002.

Vamos ver cada dia na sua vez e como a situação vai decorrer ao longo dos dias e se ter que sair do barco, assim farei por muito que me custe, mas se continuar melhor será, e assim sendo mais vale viver cada dia na sua vez e gozando cada dia conforme posso.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:26

Dia número 8 do Suplício

por tron, em 30.03.20

Levantei-me tarde como fosse um domingo normal porque não estava para aturar as duas araras que não pescam nada de saúde e acabei por o vídeo onde ambas dizem agora não saber quando é que a situação do Coronavírus normaliza, desta vez dizendo que via demorar meses em vez de darem uma data precisa.

Passei o dia a ver televisão e a ler e acabar uma coisa sem importância para um concurso de contos de uma livraria que deve estar pendurado a conta do Covid-19 para não pensar em coisas ruins e falei de coisas sem importância com a minha mulher para manter a sanidade enquanto lia um livro só para me manter com a mente viva.

Depois joguei no portátil para descarregar o stress até a hora do jantar e ao ver que a televisão não passava nada coloquei o bluray do ballet Béjart+Queen que foi uma viagem selvagem e sensorial no mundo da obra dos Queen através da criativade sem fim do coreográfo franco-suíço e que na reação do público no Teatro de Lausanne na apresentação foi a prova da imortalidade e do legado da obra dos Queen.

E ao ver o ballet foi uma forma de me sentir bem e ao mesmo tempo inspirado para acabar o texto para o concurso de contos da livrararia que ainda fui a tempo porque as inscrições acabavam no dia 3 de Abril.

A ver vamos como vai correr o dia de amanhã e esperar que esta praga, esta peste se volatize de uma vez

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:54


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Links

  •  
  • Casa - Mãe