Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Dia número 44 do Suplício

por tron, em 05.05.20

Mais um dia de teletrabalho, mais um dia de reclusão enquanto o país se reconstroi aos poucos depois da pandemia do coronavírus, mas se levanta uma grande pergunta interna que quando é que voltarei a trabalhar no call center e deixo esta rotina do back-office que me está a afectar cada vez mais a mente e o corpo.

No final do mês tenho consulta de neurologia e não sei qual vai ser a opinião do médico sobre a minha situação mental e se o médico me marcar uma ida a psiquiatria ou psicologia eu vou e depois vejo qual será a opinião dos possíveis especialistas e se disserem que tenho que sair do call center, bem assim seja e até certo ponto seria positivo para mim e fica a lição de não voltar a repetir o mesmo erro porque quem sabe se mudar de emprego ou voltar para outro curso ficarei melhor do ponto psíquico.

Nunca se sabe o dia de amanhã e muito menos o que vai ser dito pelo médico daqui a três semanas, é mesmo isto nunca se sabe o futuro e somos nós que desenhamos o nosso prórprio futuro.

Não sei mesmo nada sobre o futuro do meu emprego ou se chego a voltar a activa a 100% ou se tenho que mudar a minha agulha para outro emprego qualquer aproveitando a reconstrução da nação do seu maior desastre desde 1755 e esta mudança de agulha ser positiva para mim e para a minha família porque não dá para dar uma situação como a estou a viver em termos laborais que pode se tornar insustentável para mim e para todos que me rodeiam....

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:41

Dia número 37 do Suplício

por tron, em 28.04.20

O dia teinha que ser torto mesmo com o o software de trabalho não funcionar mesmo e depois foi a Santa Casa a madanr todos os nacionais que vivem na mesma pensão que eu a minha família incluindo a minha família fazer teste de despsite do Covid-19, mas nem foi isto o que me lixou mais o juízo.

O que me deixou mesmo com a cabeça torta foi o software de trabalho ser mesmo uma tartaruga coxa e depois enquanto ia tentando fazer omeletes sem ovos e com os nervos ao ponto de mandar tudo dar uma curva e enviar a carta de demissão assim que possível para não perigar a minha saúde mental, veio um mail de um dos supervisores que pediu um aumento dos objectivos já de si irrealistas de mails e outro anterior que mudou as regras do que era feito antes.

Estas comunicações pelo que aprendi no curso gera conflito e atrito e como o call center apenas se serve dos funcionários que estão vinculados a uma firma de trabalho temporário quem tem as responsabilidades jurídicas do contrato de trabalho é empresa de trabalho temporário que acaba por pagar as favas por o seu cliente ser um canalha.

Fiquei com vontade de sair como nunca e nem sei o que fazer e a depressão voltou e falta um mês para a minha consulta de neurologia, mas tenho que arranjar forma de a antecipar antes que seja tarde para a minha mente ou que caia em algum vício tóxico para a minha vida, tenho que pensar bem antes de voltar ao activo se passo antes a inactiva durante um tempo e respiro um pouco e mudo de ramo porque estes objectivos me estão a pressionar ao ponto de eu sair ao ponto quase sair da rede ....

 

O que faço?

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:09

Dia número 34 do Suplício

por tron, em 25.04.20

Mais um dia de trabalho e a tentar fazer omeletes sem ovos, ou seja, com o software de teletrabalho com falhas e com os obejctivos irrealistas a me chatearem a cabeça ao ponto de eu bater com porta.

Ainda hoje falei com a minha única pessoa com quem converso que é a minha mulher e ela diz que estamos presos de pés e mãos e mesmo que eu saísse do call-center e voltasse ao RSI por motivos óbvios que é falta de condições para trabalhar nem isso poderia fazer porque a assistente da Santa Casa vai de férias, ou seja, vou ter me aguentar a bronca a não ser que o meu neurologista veja que eu não estou a aguentar com a pancada.

Dou por mim com um acumular de funções no back-office que dou em maluco e não me pagam mais por isso e quando passo um olhar nos mails vejo muito erro nos mails que nem eu nos meus primórdios da disciplina do TIC antes chamada de ITI ou mesmo no curso de Técnico Administrativo dei e fico a pensar que 80% dos que lá estão a trabalhar são licenciados e fico a pensar se estudaram mesmo ou se têm algum QI ou então estão ali para a "bóia" (calão brasileiro para comer, refeição ou se aplicado no contexto laboral: ganhar para comer).

Eu também estou em parte para a bóia mas dou o meu melhor porque é assim que tem que ser e não pensar em festas nem sei que mais a não ser que ainda tenham amadurecido o suficiente para trabalhar a sério....e mesmo assim não vão chatear estes.

Depois é este empurrar com a barriga para as actividades voltarem ao normal que nunca se sabe quando voltam e comecei a pensar em mudar de actividade laboral antes que frite de vez a marmita porque não posso fritar porque sou a âncora da minha família....

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:17

Dia número 32 do Suplicio

por tron, em 23.04.20

Trinta e dois dias em casa só saindo para o chamado essencial e estando em teletrabalho aplicando o que aprendi no curso do IEFP e na formação do call-center embora esta função de back-office possa ser considerada uma distorção do contrato de trabalho, situação que me deixa pensativo se estarei dentro da lei ou estarei na margem da lei.

Tirando isto foi um dia com stress devido a falhas de software e com vontade mesmo de mandar tudo as aranhas e me ir inscrever no Centro de Emprego e pedir o RSI porque já desde do início que tenho estado com falhas de software desde do primeiro dia de back-office, mas as primeiras falhas eram problemas funcionais a ver com chaves e licenças e outras coisas semelhantes, mas agora tem sido uma loucura e que sou picuinhas quanto basta fico chateado e a pensar e mais valia nem me ter oferecido e ter logo pedido as contas.

Não sei o que fazer em relação ao meu emprego e se vale mesmo a pena continuar mesmo apesar daquilo que disse o primeiro-ministro na televisão ou se tenho escolher outro caminho porque a vida também é feita de escolhas e mudanças e nunca sabemos o dia de amanhã em relação a nossa vida, mas uma coisa é certa e nisso a minha mulher tem razão, já tive mais entusiasmo no meu trabalho e sim já tive e esta pandemia fez o favor de reduzir o pouco que eu tinha para algo que faço para sobreviver e para cumprir o meu dever como homem de família porque se eu fosse sozinho e com o desprezo que fazem das minhas capacidades linguísticas, eu pura e simplesmente tinha saído e nem voltava lá mais.

 

Bem amanhã é dia de folga e talvez ajude a minha mulher a ir buscar a refeição no refood....

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:03


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Links

  •  
  • Casa - Mãe