Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



De volta ao Inferno do teletrabalho... Nem sei muito o que pensar

por tron, em 26.12.21

Graças a estupidez inerente de um país de beatos assim meio para o analfabeto que não sabem o que é ciência e acreditam em tudo que outros ratos de sacristia partilham nas redes sociais, ao que se junta uma avareza terrível por dinheiro por parte do governo português e o seu comportamento adicitivo por turismo e dinherio a fluir... veio mais um pico desta peste vinda da China que desta vez é protagonizada por uma estirpe que parece ter surgido na África do Sul...

Para compor o conjunto, aquele beato de Belém, ajudou ao caos do regresso deste inferno com a dissolução do parlamento numa péssima altura e esta mistura resultou em pelo menos 3 semanas de teletrabalho que vão deixar as suas consequências na minha saúde mental e física (como os oito meses anteriores já deixaram)

Term um emprego que deixa o stress a nível estratoféricos onde uma simples ida a casa de banho por breves minutos dava para respirar e recarregar baterias, agora nem isso vou ter durante uns tempos e já ando a pensar em coisas muito más.

Já chega de tanta estupidez a nível global e se têm medo do vírus... fechem as fronteiras, façam férias cá dentro e deixem quem tem que trabalhar nos seus empregos trabalhar, é tão simples assim...

Mas ainda ontem fiquei a pensar a pedir a demissão do meu emprego, mas não posso, nem sei onde vou buscar forças para aguentar mais esta tempestade...

 

O que pode ser feito mais....

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:59


2 Velas de Esperança

De concha maria a 26.12.2021 às 07:28

A variante omicron não nasceu na África do Sul, foi primeiro detetada na Nova Zelândia, Inglaterra, Brasil, França, Índia, Filipinas. Só que foi na África do Sul que especialistas isolaram, sequenciaram e identificaram a variante primeiro. Depois, o mau jornalismo fez o resto, acompanhado das redes sociais.
O mundo é global, as pessoas movimentam-se em trabalho, não so em lazer, e essa situação não é contornável, dependemos uns dos outros. Este vírus propaga-se muito mais, não se pode deter, e pelo menos até 2028, pelos cálculos da pfeizer, andaremos nisto.

De tron a 26.12.2021 às 19:05

Em primeiro lugar, obrigado pelo comentário e sim a imprensa de Portugal e não só consegue descer ao nível de papel higiénico e ser combustível para os antivax.
Eu que tive professoras de biologia que tinham como nome do meio "exigência" ensinaram o B-A-BA de vírus respiratórios e o covid-19 não passa disso mesmo, resumindo vamos andar neste ciclo por algum tempo, talvez 2028 ou próximo disso.
Mas se for tomada como base o que foi feito na gripe espanhola as viagens para longas distâncias deveriam sim de acabarem ou de serem reduzidas apenas o essencial

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Links

  •  
  • Casa - Mãe